logo-turismos-jordania

Tour de Israel e Jordânia

14 dias: Tour de Israel e Jordânia em duas semanas, com tudo incluído

Você pode imaginar uma excursão de duas semanas com tudo incluído em Israel e Jordânia, que não deixa de fora do programa nenhum destino turístico interessante? É precisamente isso que lhe oferecemos neste pacote de viagens, com um programa de 14 dias que o leva aos lugares mais sagrados para o judaísmo, cristianismo e islamismo, mas também a autênticas maravilhas monumentais e naturais: Jerusalém, Petra ou Wadi Rum são alguns dos destaques deste circuito, em que todos os dias são cheios de surpresas. Dê uma olhada na proposta e não perca se quiser contratar a viagem mais completa possível por esses dois países.

Toda a Terra Santa, com todos os locais sagrados e históricos

Não há dúvida de que o grande apelo de uma turnê de duas semanas por Israel e Jordânia é religião, especialmente se o viajante professa uma das três religiões monoteístas: judaísmo, cristianismo ou islamismo. Este território é conhecido como a Terra Santa ou Terra Prometida, e tem Jerusalém como seu epicentro.

Nesta cidade sagrada passamos vários dias, uma vez que os monumentos e locais de interesse são muito numerosos. Entre eles, o Túmulo do Rei Davi e o Cemitério Judaico para os Hebreus; a Basílica do Getsêmani, a Via Dolorosa, o Santo Sepulcro, o Cenáculo e a Abadia da Dormição para os cristãos, ou a Esplanada das Mesquitas para os muçulmanos.

Fora de Jerusalém, mas sem deixar Israel, os locais sagrados são igualmente numerosos. Podemos citar Jericó, o Mar da Galileia, Belém, Nazaré ou Monte Carmelo, entre muitos outros espaços de grande significado mencionados na Bíblia. Ou San Juan de Acre e outras construções promovidas durante a era medieval das Cruzadas, quando os guerreiros religiosos procuraram devolver Jerusalém às mãos cristãs.

Além disso, na vizinha Jordânia também há espaços de enorme simbolismo religioso. Às muitas e monumentais mesquitas somam-se igrejas e espaços sagrados que podem ser visitados hoje, como o Monte Nebo ou a igreja de San Jorge em Madaba, bem como castelos medievais que não só nos falam sobre os cavaleiros cruzados cristãos, mas também sobre os guerreiros islâmicos que os enfrentaram.

E, claro, em uma turnê de duas semanas por Israel e Jordânia Há espaço para muitos lugares históricos, que são belos e interessantes em si mesmos, embora sua relação com a religião não seja tão marcada. Em Israel, podemos citar Cesareia ou Herodium por seus sítios arqueológicos de enorme interesse, ou cidades modernas onde a vida cultural e de lazer é muito ativa, como Tel Aviv. Na Jordânia, destacam-se a capital Amã, a cidade romana de Jerash e, acima de tudo, Petra, a cidade nabateia esculpida entre desfiladeiros rochosos.

Natureza do Oriente Médio, em sua forma mais pura

Mas não só a religião, a história e a arte são compostas por este circuito de duas semanas através de Israel e Jordânia.. Existem também espaços naturais de enorme beleza e singularidade, que não perderemos a oportunidade de conhecer, seja de forma guiada ou independente, com tempo livre para cada viajante utilizar ao seu gosto.

A Jordânia é particularmente rica em reservas naturais e áreas protegidas. Wadi Rum se destaca acima de tudo: é um deserto onde as montanhas adquirem formas impossíveis, com arcos de pedra criados pela erosão diferencial, cânions profundos e estreitos e até dunas de areia avermelhada que cativam a todos que entram neles. Outro dos espaços naturais únicos e em programa é o Mar Morto, com as suas águas e lama de grande prestígio no mundo da estética. E as colinas verdes da região de Ajloun fornecerão um contraste impressionante com a aridez prevalecente neste país.

No que diz respeito a Israel, a natureza também nos deixa paisagens de grande beleza e que vale a pena conhecer de perto. Por exemplo, o Mar da Galileia, que é o maior lago de todo o país. Ou o oásis de Ein Gedi, no deserto de Negev, onde a água jorra quase magicamente durante todo o ano e é o refúgio perfeito para a vida selvagem local. Ou a costa mediterrânea em cidades como Tel Aviv ou Haifa, esta última pontilhada com elevações moldadas pela história geológica (Monte Carmelo) ou pela mão do homem (jardins bahá’ís).

Itinerário desta excursão de duas semanas em Israel e Jordânia

14 dias e 13 noites. Essa é a duração exata disso turnê de duas semanas por Israel e Jordânia, com ponto de partida e fim em Tel Aviv (Aeroporto Internacional Ben Gurion) e com duas passagens de fronteira, no oitavo e décimo terceiro dia. Este é o itinerário detalhado da viagem, dia a dia.

  • Dia 1: Aeroporto Ben Gurion de Tel Aviv
  • Dia 2: Tel Aviv – Jaffa – Cesareia – Haifa – San Juan de Acre – Nazaré
  • Dia 3: Nazaré – Mar da Galileia – Tabgha – Monte das Bem-aventuranças – Cafarnaum – Nazaré
  • Dia 4: Nazaré – Caná – Monte Tabor – Jericó – Jerusalém
  • Dia 5: Jerusalém
  • Dia 6: Jerusalém (Cidade Velha) – Belém – Herodium – Jerusalém
  • Dia 7: Jerusalém – Massada – Qumran – Ein Gedi – Jerusalém
  • Dia 8: Jerusalém – Jerash – Castelo de Ajloun – Amã
  • Dia 9: Amã – Madaba – Monte Nebo – Karak – Pequena Petra – Petra
  • Dia 10: Petra
  • Dia 11: Petra – Wadi Rum – Mar Morto
  • Dia 12: Mar Morto – Castelos do Deserto – Amã
  • Dia 13: Amã – Tel Aviv
  • Dia 14: Tel Aviv – Aeroporto Ben Gurion de Tel Aviv

Dia 1: Aeroporto de Tel Aviv Ben Gurion - Tel Aviv

O primeiro dia desta excursão de duas semanas por Israel e Jordânia Seu objetivo é chegar e descansar da viagem de avião. Para isso, nossa equipe irá recebê-lo no Aeroporto Internacional Ben Gurion de Tel Aviv e lhe dará assistência e, em seguida, fará a transferência em veículo particular para o hotel. A chegada será já à noite, pelo que só haverá tempo para descansar nos quartos, deixando para o dia seguinte as primeiras visitas do circuito.

  • Reunião e assistência no Aeroporto Internacional Ben Gurion de Tel Aviv
  • Formalidades fronteiriças
  • Transfer para o hotel em veículo particular com motorista
  • Pernoite em hotel em Tel Aviv

Dia 2: Tel Aviv - Jaffa - Cesareia - Haifa - São João do Acre - Nazaré

Esta excursão de duas semanas por Israel e Jordânia Prossiga, no que diz respeito às visitas culturais, neste segundo dia. Depois de tomar um buffet de café da manhã no hotel (como acontecerá no resto da viagem), nos mudaremos para Jaffa, no sul de Tel Aviv.

Jaffa (Jaffa em hebraico) é um bairro costeiro que se abre para o Mar Mediterrâneo e é considerado um dos portos mais antigos do mundo. Até meados do século XX era um município independente, mas desde então forma a mesma entidade e o mesmo conglomerado urbano com Tel Aviv, o que o coloca como o segundo em termos de número de habitantes. Apesar disso, as suas ruas e o seu porto continuam a exalar um ar muito pitoresco, com construções feitas de silhares de pedra, que em alguns casos têm vários milhares de anos de história. O castelo localizado na parte superior oferece vistas panorâmicas privilegiadas do porto, e a igreja de San Pedro é um elegante edifício neoclássico com o qual abriremos nossas bocas no que diz respeito a visitar templos cristãos.

Em seguida, seguiremos para o norte, para outro assentamento marítimo com mais de 2.000 anos de história: Cesaréia, um enclave fundado por Herodes, o Grande, que ultrapassou Jaffa e do qual ainda existem importantes vestígios arqueológicos e monumentais. Entre eles, destacam-se um aqueduto, um teatro espetacular e um circo. Além disso, há restos de edifícios posteriores feitos por bizantinos, árabes e, acima de tudo, cruzados, entre outros. Este último fez uma importante fortificação do lugar, que como um todo forma o Parque Nacional de Cesaréia.

Perto está a cidade de Haifa, a terceira maior do país e espalhada em grande parte em colinas que se erguem em frente ao mar. É o que é conhecido como Monte Carmelo e, em um deles, é atualmente o mosteiro de Stella Maris, construído sobre a caverna onde se acredita que o profeta Elias poderia habitar. Além disso, é a casa da Virgen del Carmen, uma das invocações de Maria mais veneradas no mundo, especialmente desde o estabelecimento da ordem religiosa dos carmelitas, desde o século XII. Além disso, o Monte Carmelo é o lar de outra atração religiosa: os Jardins Bahai, um lugar sagrado para os bahá’ís, onde a encosta da colina tem sido usada para materializar simplesmente espetaculares jardins de terraço, com um ponto de vista que oferece vistas incríveis. Por isso, e por importantes descobertas para a evolução humana, o Monte Carmelo e este sítio Bahá’í são Património da Humanidade.

A próxima visita do dia é, precisamente, outro lugar declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco: Acre (Akko em hebraico). O seu centro histórico é realmente pitoresco e o espaço mais icónico é a fortaleza subterrânea, construída pela Ordem Hospitaleira no século XII, no contexto das cruzadas europeias para criar o Reino Cristão de Jerusalém. Nesta fortaleza existem galerias e salas abobadadas entre as quais se destaca o Salão dos Cavaleiros.

E com esta última e impressionante visita, viajaremos por estrada até ao nosso hotel em Nazaré, uma cidade que descobriremos no dia seguinte. Nas instalações do hotel será levado o jantar, o primeiro deste grande excursão de duas semanas com tudo incluído por Israel e Jordânia.

  • Visita de Jaffa
  • Viagem de carro a Cesaréia:
    • Visita ao Parque Nacional de Cesareia (sítio arqueológico e monumental)
  • Viagem de carro a Haifa. Visitas ao Monte Carmelo:
    • Monastério de Stella Maris
    • Jardins Bahá’ís
  • Viagem de carro ao Acre:
    • Visita da cidade velha e da fortificação cruzada
  • Transferência para Nazaré
  • Refeições e alojamento:
    • Café da manhã no hotel em Tel Aviv
    • Almoço no restaurante local
    • Jantar e pernoite no hotel em Nazaré

Dia 3: Nazaré - Mar da Galileia - Tabgha - Monte das Bem-aventuranças - Cafarnaum - Nazaré

Em uma turnê de duas semanas por Israel e Jordânia, a vida e a obra de Jesus surgirão continuamente. Mas é neste terceiro dia de viagem que ele ganha mais destaque, já que o itinerário de hoje abrange alguns dos lugares mais importantes de sua vida, tanto na cidade de Nazaré quanto no Mar da Galileia e seus arredores.

Portanto, levaremos nossas baterias com o buffet de café da manhã do hotel e sairemos por estrada para o Mar da Galileia. Este grande lago, com mais de 50 km de perímetro, é o maior corpo de água em Israel. E de acordo com o relato bíblico, foi aqui que Jesus convenceu vários de seus discípulos a segui-lo e se tornarem “pescadores de homens”. Nesta primeira parte do dia, faremos um passeio de barco, e será inevitável evocar um dos milagres do Messias cristão: aquele que o levou a caminhar sobre as águas.

Após a travessia, nos deslocaremos para vários lugares de grande simbolismo localizados nas margens da costa norte, ou em suas proximidades. Por exemplo, para Cafarnaum, onde Jesus Cristo começou a espalhar Sua mensagem. Era uma cidade antiga da qual hoje permanecem suas importantes ruínas arqueológicas, e nelas foi identificada a Casa de São Pedro, bem como uma grande sinagoga, que também poderia ser um lugar de pregação de Jesus.

Outro lugar que conheceremos na costa norte do Mar da Galileia será Tabgha, onde Jesus poderia ter operado outro milagre: a multiplicação dos pães e peixes, como lembra uma igreja memorial. Outro templo desta cidade é a igreja do Primaz de São Pedro, onde Jesus teria confirmado a este fiel seguidor a sua liderança à frente da Igreja. Ambas são construções recentes, do início do século XX, mas ajudam a contextualizar as passagens bíblicas que aqui aconteceram. E o mesmo vale para a igreja das Bem-aventuranças no Monte de mesmo nome, nas proximidades, onde Jesus teria dado o Sermão da Montanha.

Para concluir o dia, voltaremos a Nazaré, mas com tempo suficiente para visitar a cidade, onde Jesus Cristo passou sua infância, porque aqui os membros da Sagrada Família tinham sua residência. Portanto, foi aqui que ocorreu a Anunciação do Arcanjo Gabriel à Virgem Maria, ou onde São José teve sua oficina de carpintaria. E vamos falar sobre isso in situ

, uma vez que está prevista a visita da Basílica da Anunciação e da igreja de São José, construída sobre estes lugares sagrados.

Isso encerrará as visitas programadas neste dia que, embora estejam relativamente próximas umas das outras, formarão um programa muito intenso. Em seguida, retornaremos ao hotel para jantar e para um merecido descanso.

  • Excursão ao Mar da Galileia: Passeio de Barco
  • Visita de Cafarnaum: sítio arqueológico, com Casa de São Pedro
  • Visita de Tabgha: Igreja da Multiplicação dos Pães e Peixes e Igreja do Primado de São Pedro
  • Visita do Monte das Bem-aventuranças, com igreja
  • Visita de Nazaré:
    • Basílica da Anunciação
    • Igreja de San José
  • Refeições e alojamento:
    • Café da manhã do hotel em Nazaré
    • Almoço no restaurante local
    • Jantar e pernoite no hotel em Nazaré

Dia 4: Nazaré - Caná - Monte Tabor - Jericó - Jerusalém

Nesta excursão de duas semanas por Israel e Jordânia, o quarto dia está intimamente relacionado com a vida de Jesus, como também aconteceu no dia anterior. E usaremos nosso hotel em Nazaré como local de café da manhã e ponto de partida para a rota.

O primeiro lugar a visitar é Caná da Galileia, onde se acredita que ocorreu o casamento em Caná, no qual Cristo transformou água em vinho, para a perplexidade dos participantes, incluindo sua mãe Maria. Portanto, um elegante templo foi erguido aqui: a igreja das Bodas de Caná, do final do século XIX e início do século XX. Em seu porão descansam os frascos onde esse evento milagroso teria ocorrido.

Depois disso, continuaremos ao Monte Tabor, outro lugar prodigioso na vida de Jesus: aqui teria ocorrido a sua transfiguração, isto é, o momento em que ele se tornou radiante e ouviu a voz de Deus que o chamou de “filho”. A Basílica da Transfiguração recorda este episódio e situa-se no topo desta montanha que, sendo uma elevação natural sobre uma planície, oferece vistas espectaculares sobre o ambiente, como as Colinas de Golã ou a fronteira jordaniana, onde nos levará vários dias depois este turnê de duas semanas por Israel e Jordânia.

A próxima parada da rota é Jericó, que visitaremos se as condições de segurança permitirem. É um lugar de grande importância para judeus, muçulmanos e cristãos. Para os judeus, é assim porque é a primeira cidade conquistada pelos Filhos de Israel, retornada com Moisés do Sinai. Os muçulmanos contribuíram no passado para a construção, por exemplo, do Palácio de Hisham, que visitaremos: remonta ao século VIII e foi encomendado pelo califa omíada Hisham ibn Abd al-Malik. Nela poderemos ver e imaginar sua grande opulência, e entenderemos por que faz parte dos chamados “castelos do deserto”, distribuídos entre a Palestina (Cisjordânia) e a Jordânia … Como também verificaremos no final deste turnê de duas semanas por Israel e Palestina.

Outro espaço a visitar é o Tell Jericó, ou seja, a zona mais antiga desta cidade, com estruturas de vários milhares de anos de história. E, sem dúvida, não podemos deixar esta cidade sem antes visitar o Monte das Tentações (que subiremos de teleférico), onde Jesus viu o aparecimento de um diabo que o tentou depois de seus 40 dias de jejum no deserto. Claro, um mosteiro (de Quarantul) comemora este episódio bíblico e sua construção é impressionante, porque está envolto na encosta da montanha. A partir dele, suas vistas também são magníficas, incluindo o Mar Morto e o Vale do Jordão.

Precisamente o rio Jordão será o último lugar para visitar neste dia intenso. Viajaremos por estrada até um ponto muito simbólico de seu curso: Qasr el-Yahud, também conhecido como o Local do Batismo de Cristo. Ou seja, o lugar exato onde São João Batista batizou Jesus, porque foi aqui e nos riachos circundantes onde ele realizou este rito de purificação. Está localizado bem na fronteira entre Israel e a Jordânia que, por enquanto, não atravessaremos. Mas podemos conhecer o recinto, com escadas que levam à mesma água para que aqueles que desejam possam entrar em contato com eles, porque de fato muitos fiéis realizam um banho emulando o que Jesus fez há 2.000 anos.

Com Qasr el-Yahud terminamos as visitas deste quarto dia, mas em vez de retornar a Nazaré, viajaremos diretamente para Jerusalém, onde uma experiência inesquecível de turismo histórico e religioso nos espera no dia seguinte. Por enquanto, vamos nos limitar a jantar e descansar no hotel, localizado naquela cidade sagrada.

  • Visita de Caná da Galileia: Igreja das Bodas de Caná
  • Monte Tabor: subida e visita da Basílica da Transfiguração
  • Jericó e arredores:
    • Palácio de Hisham
    • Diga a Jericó
    • Monte das Tentações: mosteiro de Quarantul
  • Qasr el-Yahud: Visita ao local do batismo de Cristo
  • Refeições e alojamento:
    • Café da manhã do hotel em Nazaré
    • Almoço no restaurante local
    • Jantar e pernoite no hotel eh Jerusalém

Dia 5: Jerusalém

Não há dúvida de que Jerusalém é uma das cidades mais sagradas do mundo, repleta de monumentos e locais repletos de história. Portanto, este Excursão de duas semanas por Israel e Jordânia deve dedicar pelo menos um dia inteiro para visitar seus lugares mais significativos.

É isso que faremos neste quinto dia, após o café da manhã no hotel. Primeiro, iremos para o Monte das Oliveiras, localizado a leste da cidade. É uma montanha sagrada para judeus e cristãos. Para os judeus, porque aqui está o Cemitério Judaico, o mais importante para esta religião, porque, de acordo com a Torá, este será o primeiro lugar onde Javé redimirá os mortos. E para os cristãos, porque aqui Jesus se retirou para orar antes de ser preso, depois da Última Ceia. Este episódio é comemorado pela Basílica do Getsêmani, também conhecida como Basílica da Agonia ou das Nações. E o Sepulcro da Virgem, em um edifício localizado a dois passos de distância, reforçará ainda mais a emoção da visita.

Do Monte das Oliveiras, nos mudaremos para a moderna Jerusalém, localizada na parte ocidental da cidade. Aqui veremos externamente o Knesset ou Parlamento israelense, estabelecido nos anos 60. Perto está também o Museu de Israel, onde conheceremos algumas relíquias da sociedade israelense. Em particular, a construção conhecida como o Santuário do Livro, onde fac-símiles dos Manuscritos do Mar Morto são expostos, das cavernas de Qumran, com passagens do Antigo Testamento e outras questões da sociedade israelense em tempos do Segundo Templo de Salomão (séculos III-I aC). Um modelo de Jerusalém naquela época ajudará a entender o contexto desses documentos inestimáveis.

A próxima visita planejada no programa é o Monte Sião, localizado ao sul da Cidade Velha, onde visitaremos vários lugares de enorme significado religioso. Para os judeus, destaca-se o túmulo do rei Davi, pai de Salomão. E no último andar, uma sala sagrada para o cristianismo: o Cenáculo, onde se acredita que a Última Ceia de Jesus poderia ser celebrada com seus discípulos. Muito perto deste espaço está a Abadia da Dormição, onde a Virgem Maria teria experimentado o Trânsito, entrando em sono eterno, de acordo com a crença cristã: é uma construção espetacular do final do século XIX, com uma cripta no subsolo onde esse fato poderia ter ocorrido.

Sem dúvida, existem muitas datas, passagens bíblicas e personagens que compõem a história judaica e cristã. Portanto, vale a pena se mudar para os arredores de Jerusalém e visitar o Centro de Visitantes Saxum, que é um centro multimídia onde tudo o que é descoberto e a ser descoberto neste contexto é explicado e dado. turnê de duas semanas por Israel e Jordânia.

Depois disso, será hora de retornar ao hotel. E certamente será inevitável rever em nossa mente todos os lugares visitados durante o dia, seja durante o jantar ou quando for para os quartos para descansar.

  • Visita do Monte das Oliveiras:
    • Cemitério Judaico
    • Basílica do Getsêmani (ou da Agonia ou das Nações)
  • Visita de Jerusalém Moderna:
    • Relações Exteriores do Knesset ou Parlamento israelense
    • Museu de Israel: Manuscritos do Mar Morto
  • Visita do Monte Sião:
    • Túmulo do Rei Davi
    • Cenáculo
    • Abadia da Dormição
  • Visita ao Centro de Visitantes de Saxum
  • Refeições e alojamento:
    • Café da manhã no hotel em Jerusalém
    • Almoço no restaurante local
    • Jantar e pernoite no hotel em Jerusalém

Dia 6: Jerusalém (Cidade Velha) - Belém - Herodium - Jerusalém

Um dia inteiro não é suficiente para conhecer toda Jerusalém. Portanto, neste Excursão de duas semanas por Israel e Jordânia, há um segundo dia de visita nesta cidade sagrada, especificamente a Cidade Velha, dentro das muralhas, onde cada metro quadrado está cheio de história e simbolismo para as três religiões monoteístas.

Assim que tomarmos café da manhã, entraremos na antiga Jerusalém para visitar primeiro o Muro das Lamentações: também conhecido como Muro das Lamentações, é a única coisa que resta do Segundo Templo de Salomão. As tropas do imperador romano Tito a deixaram de pé após sua destruição em 70 dC, como um lembrete da força que eles foram capazes de aplicar, mas para os judeus era um sinal divino e um elo entre Yahweh e a Terra. Hoje podemos ver centenas (milhares no final do dia) de fiéis formulando seus lamentos e desejos aqui.

Precisamente a terra formada pelos antigos templos de Salomão (o Primeiro e o Segundo) é o que hoje compõe a Esplanada das Mesquitas, com três templos de máxima sacralidade para os muçulmanos: o Domo da Corrente, a Mesquita al-Aqsa e o Domo da Rocha. Este último, com sua espetacular cúpula dourada, é um dos grandes ícones de Jerusalém, e o lugar de onde Maomé subiu ao céu nas costas do cavalo Buraq e na presença do Arcanjo Gabriel. Sem dúvida, um lugar imponente que visitaremos se as condições de segurança o permitirem.

Depois disso, caminharemos pelo bairro judeu, o bairro muçulmano e o bairro cristão, e neste passeio chegaremos aos lugares mais sagrados para o cristianismo. Por exemplo, a Via Dolorosa, que Jesus percorreu no caminho para a Cruz. Portanto, existem 14 estações da Via Sacra, que viajaremos a pé. Estes últimos encontram-se, como veremos, dentro da igreja do Santo Sepulcro, construída no século IV e reconstruída no décimo primeiro no lugar onde ocorreu a crucificação, sepultamento e ressurreição de Cristo. Portanto, dentro está o túmulo vazio de Jesus.

Depois de conhecer estes três pontos-chave para as religiões monoteístas, deixaremos Jerusalém para visitar, muito perto daqui, a cidade de Belém, para sempre ligada ao nascimento de Jesus. Portanto, na caverna onde se acredita que o nascimento ocorreu, foi construída a Igreja da Natividade, um dos primeiros templos desta religião, dentro do qual está a Gruta da Natividade. Tudo isso é Patrimônio da Humanidade pela Unesco e fará parte da nossa visita.

Após a visita de Belém, continuaremos mais alguns quilômetros por estrada até chegarmos a Herodionte, o palácio-fortaleza que Herodes ordenou que fosse construído por volta de 20 aC como sua residência e, finalmente, como seu local de sepultamento. Por estar localizado em uma colina elevada, as vistas panorâmicas dos arredores agregam interesse à visita.

Herodion será o último lugar para se encontrar neste dia, então depois disso retornaremos a Jerusalém para jantar no hotel e descansar nos quartos. E faremos isso com um carrossel de imagens na retina que, certamente, permanecerão para sempre na memória.

  • Visita da Cidade Velha de Jerusalém:
    • Muro das Lamentações ou Muro das Lamentações
    • Esplanada das Mesquitas
    • Via Dolorosa e Igreja do Santo Sepulcro
  • Deslocamento a Belém: visita da Igreja da Natividade
  • Deslocamento para Herodion: visita dos restos do palácio-fortaleza de Herodes
  • Refeições e alojamento:
    • Café da manhã no hotel em Jerusalém
    • Almoço no restaurante local
    • Jantar e pernoite no hotel em Jerusalém

Dia 7: Jerusalém - Massada - Qumran - Ein Gedi - Jerusalém

O sétimo dia desta excursão de duas semanas por Israel e Jordânia é um dia de excursões: de Jerusalém partiremos para outros lugares próximos e muito interessantes, especialmente do ponto de vista histórico e natural.

Após o café da manhã no hotel, nos mudaremos para Qumran, um lugar que é mencionado no Museu de Israel ao contemplar os Manuscritos do Mar Morto. Este é o lugar onde eles realmente apareceram, e vamos entendê-lo visitando seus vestígios arqueológicos únicos: foi um assentamento-refúgio para a população essênia (ramo alternativo do judaísmo) no século II, que produziu os pergaminhos bíblicos acima mencionados aqui.

A próxima visita do dia também nos leva de volta a um passado fascinante: o Parque Nacional de Massada, que subiremos de teleférico. No topo de uma grande falésia empoleirada em frente ao Mar Morto está este sítio, declarado Património da Humanidade pela UNESCO e também ligado a Herodes, que alargou o recinto do qual ainda se distinguem espaços como os banhos, o palácio ou a sinagoga. Um espaço espetacular que, além disso, é mais comovente conhecer o episódio que o tornou famoso: a resistência judaica na primeira guerra judaico-romana e o suicídio coletivo de seus habitantes para não se humilharem diante do inimigo, quando entenderam que tinham tudo perdido.

De volta a Jerusalém, atravessaremos o deserto do Negev, mas pararemos em um oásis incrível: Ein Gedi, formado por piscinas de água doce e outros canais que parecem brotar como por magia. Sua fama e mistério já eram conhecidos desde tempos imemoriais e também são mencionados no Antigo Testamento. O íbex núbio e os coelhos de rocha são alguns dos seus habitantes mais ilustres, que podemos ser capazes de detectar com um pouco de sorte.

Para concluir o dia, retornaremos ao nosso hotel em Jerusalém, onde também teremos nosso último jantar nesta cidade.

  • Viagem de carro para:
    • Qumran: visita ao sítio arqueológico
    • Massada: teleférico e visita ao recinto
    • Deserto de Negev: oásis de Ein Gedi
  • Refeições e alojamento:
    • Café da manhã no hotel em Jerusalém
    • Almoço no restaurante local
    • Jantar e pernoite no hotel em Jerusalém

Dia 8: Jerusalém - Jerash - Castelo de Ajloun - Amã

Depois de vários dias descobrindo intensamente Jerusalém e seus arredores, é hora de deixar esta cidade santa para seguir para a Jordânia. Após o café da manhã, sairemos por estrada para o posto fronteiriço de Sheikh Hussein, onde faremos toda a papelada para atravessar para o país vizinho.

Nestas primeiras horas na Jordânia vamos percorrer o norte para conhecer dois dos seus destinos mais interessantes. Em primeiro lugar, Ajloun. Especificamente o seu castelo, um dos melhores vestígios do período das Cruzadas no que é hoje a Jordânia. Foi construído pelas tropas de Saladino em sua estratégia para consolidar sua ofensiva contra os cruzados cristãos do Reino de Jerusalém, no final do século XII. Um século depois, os mamelucos a reconstruíram com o mesmo objetivo, mas neste caso contra os invasores mongóis. Para além do seu interesse histórico e arquitectónico, este castelo fascina com as suas vistas panorâmicas sobre os arredores de colinas verdejantes, com vegetação mediterrânica.

A próxima visita do dia é Jerash, muito perto de Ajloun. E, neste caso, leva-nos a outro período histórico que também foi muito importante para a região: a dominação romana. Esta cidade, anteriormente chamada Gerasa, não é apenas uma das mais bem preservadas de toda a Jordânia, mas de todo o território através do qual o Império Romano se estendia. É assim que o entenderemos assim que caminharmos por seu parque arqueológico, onde estruturas monumentais como seu hipódromo, seu templo de Zeus, seu Arco de Adriano, seu Cardus Maximus, seus teatros e uma Praça Oval muito elegante que serviu como fórum ainda estão de pé.

Após este passeio pelo norte da Jordânia, nos mudaremos para Amã, a vibrante capital do país. No entanto, por enquanto, você só vai jantar e descansar no hotel, já que a visita guiada à cidade está reservada para mais tarde.

  • Passagem rodoviária de fronteira no posto Sheikh Hussein
  • Viagem Rodoviária pelo Norte da Jordânia:
    • Ajloun: visita ao castelo medieval
    • Jerash: visita da cidade romana
  • Viagem de carro a Amã
  • Refeições e alojamento:
    • Café da manhã no hotel em Jerusalém
    • Almoço no restaurante local
    • Jantar e pernoite no hotel em Amã

Dia 9: Amã - Madaba - Monte Nebo - Karak - Pequena Petra - Petra

Se no dia anterior nos movemos pelo norte da Jordânia, neste nono dia o faremos pelo centro até chegarmos ao sul. E no caminho, vamos parar em lugares cheios de interesse.

O primeiro destino a visitar depois de tomar café da manhã e iniciar a rota da estrada é Madaba. É uma cidade de grande importância nos tempos bizantinos, quando muitos de seus vestígios arqueológicos são datados. Precisamente a partir do século VI é a joia histórico-artística em que vamos parar por mais tempo: o mapa em mosaico da igreja de San Jorge. Não só surpreende pelo seu tamanho e beleza, mas também pelo seu valor documental: é a representação mais antiga da Terra Santa, o território que estamos em grande parte a percorrer nesta turnê de duas semanas por Israel e Jordânia.

O próximo destino do dia é o Monte Nebo, a poucos quilômetros de Madaba. E é um lugar sagrado para as três religiões monoteístas porque é a colina de onde Moisés contemplou a Terra Prometida, isto é, tudo o que visitamos nos dias anteriores deste circuito, com Jerusalém no horizonte, se o dia estiver claro. Além de um ponto de vista que enquadra o que o profeta viu com os olhos, o complexo também tem uma igreja memorial e um centro de interpretação.

Após essas duas visitas, retornamos ao veículo para viajar para o sul em uma rota mais longa, mas que completaremos com duas paradas interessantes ao longo do caminho. O primeiro, Karak, a cidade em cima da qual se ergue um imponente castelo medieval. Nesta ocasião, foi construído pelos cruzados no início do século XII, embora também tenha sido tomado mais tarde pelo exército de Saladino.

E a segunda dessas paradas é em Al Beida, na chamada Pequena Petra. Como o próprio nome sugere, é um enclave esculpido em cânions rochosos que lembram a vizinha Petra e que provavelmente serviu. Possui instalações, templos e outros espaços que aproveitam as grutas naturais, com fachadas elegantes que atraem a atenção na sua boca de entrada. A vossa visita, portanto, pode muito bem servir para abrir a boca para a visita que nos espera no dia seguinte.

Depois de deixar Little Petra, o objetivo deste dia está muito próximo: a apenas 10 minutos de distância, em Wadi Musa. Essa é a cidade que está localizada em frente a Petra e onde o nosso hotel estará, com jantar incluído.

  • Viagem de carro para:
    • Madaba: visita da igreja de San Jorge e seu mapa em mosaico
    • Monte Nebo: visita ao recinto sagrado da montanha
    • Karak: visita do castelo medieval
    • Pequena Petra: visita de aceno esculpida na rocha
  • Chegada em Wadi Musa (Petra)
  • Refeições e alojamento:
    • Café da manhã no hotel em Amã
    • Almoço no restaurante local
    • Jantar e pernoite no hotel em Wadi Musa (petra)

Dia 10: Petra

Em qualquer turnê de duas semanas por Israel e Jordânia, Petra é um dos destinos mais esperados. Portanto, dedicamos um dia inteiro: o décimo da viagem, que começará com o café da manhã no hotel e logo nos levará ao local da chamada “cidade rosa”.

Há muito para ver e, para acelerar o percurso e torná-lo mais confortável, utilizaremos um serviço de transporte a cavalo. Desta forma, partiremos do Túmulo dos Obeliscos e visitaremos o famoso Siq, que leva ao monumento mais fotografado: o Tesouro, com uma fachada espetacular de colunas e frontão, imortalizado por Indiana Jones em um de seus filmes. É o monumento que melhor simboliza o zênite do Império Nabateu, que teve sua capital em Petra.

Portanto, os locais de interesse vão muito além. Ficaremos sem palavras por outros espaços como a Rua das Fachadas, os Túmulos Reais, o Teatro, os templos da religião nabateia ou o núcleo urbano da época romana, com a sua Rua Colunada no centro. E para quem ainda tem forças, uma última surpresa: o mosteiro Al Deir, no topo de uma escadaria esculpida na rocha de mais de 800 degraus.

Por todas estas razões, Petra foi declarada Património da Humanidade e uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno. E por tudo isso, retornaremos ao hotel (onde o jantar está incluído) com a sensação de ter vivido uma experiência turística única.

  • Visita de Petra ao longo do dia
  • Refeições e alojamento:
    • Café da manhã do hotel em Wadi Musa (Petra)
    • Almoço durante o percurso
    • Jantar e hotel em Wadi Musa (Petra)

Dia 11: Petra - Wadi Rum - Mar Morto

Nesta excursão de duas semanas por Israel e JordâniaAinda há fortes emoções e lugares inesquecíveis no programa. E assim você pode vê-lo neste décimo primeiro dia, depois de tomar café da manhã no hotel e pegar a estrada.

A manhã será dedicada a conhecer os cantos mais inacessíveis de Wadi Rum, o deserto declarado Patrimônio da Humanidade que tanto deslumbrou T.E. Lawrence (Lawrence da Arábia). Para fazer isso, usaremos um jipe 4×4 que nos levará através de trilhas e dunas avermelhadas, ao lado de montanhas de formas caprichosas, pontes rochosas e cânions nos quais civilizações antigas deixaram sua marca na forma de petróglifos.

Depois de duas horas em que nos sentiremos beduínos modernos, retornaremos ao nosso veículo habitual para viajar por estrada para outro lugar sem comparação: o Mar Morto. A estrada nos fará descer progressivamente até -400 metros acima do nível do mar, o ponto mais baixo do planeta. E lá nos espera este lago com o nome do mar que não permite a existência de vida em suas águas devido à sua alta salinidade, mas favorece a flutuabilidade dos banhistas. Por esta razão e pelas propriedades cosméticas de seu lodo, um banho livre neste lugar será mais do que justificado.

Então, à noite, você vai jantar nesta penúltima noite no hotel, às margens do Mar Morto.

  • Viagem de carro a Wadi Rum
    • Excursão de duas horas pelo deserto 4×4
  • Viagem ao Mar Morto
    • Tempo livre
  • Refeições e alojamento:
    • Café da manhã do hotel em Wadi Musa (Petra)
    • Almoço no restaurante local
    • Jantar e pernoite no Mar Morto

Dia 12: Mar Morto - Castelos do Deserto - Amã

O Mar Morto fica no extremo oeste da Jordânia, na fronteira com Israel. Por outro lado, neste décimo segundo dia nos deslocaremos para o lado oposto do país: seu setor oriental, onde uma surpresa reconhecida como Patrimônio da Humanidade pela Unesco nos espera: os castelos do deserto.

Portanto, depois de um café da manhã cedo no hotel do Mar Morto, viajaremos por estrada para o primeiro deles: Qasr al-Azraq, nos arredores de Azraq. Esta área, na época, era muito mais úmida e fértil, e esta construção do século VII foi usada como pavilhão de caça pelo califa omíada Walid II, no século VIII. A sua aparência mais dura e fortificada, em pedra de basalto escuro, deve-se à sua reforma durante a era mameluca, no século XIII. Além disso, no século XX teve um ilustre convidado: T.E. Lawrence.

O segundo deles, o de Qusayr Amra, é um palácio de repouso que remonta ao século VIII, ou seja, aos tempos do califa omíada Walid I. Este fato é importante, uma vez que entre os mais marcantes deste palácio estão suas pinturas murais, com temas posteriormente proibidos pela arte islâmica: nos banhos ou retratos de monarcas da época em seu salão de reis, incluindo os do visigótico espanhol Rodrigo.

Além disso, teremos a oportunidade de visitar o terceiro dos castelos do deserto: o de Qasr al-Kharana, cuja função é desconhecida, embora provavelmente tenha sido uma estrutura para reuniões entre líderes omíadas e beduínos locais. É muito bem preservado e sua aparência é resistente e imponente, especialmente por sua localização neste canto inóspito.

Depois de conhecer essas estruturas realmente especiais, retornaremos a Amã, já que ainda temos a visita essencial desta cidade. Será um passeio panorâmico pelos locais mais emblemáticos desta cidade, com vários milénios de história. Muitos deles estão concentrados na Cidadela, coração da antiga Amã. Conheceremos também o Teatro Romano, o monumento mais importante da época em que esta cidade estava sob domínio romano e se chamava Filadélfia. E vamos sentir, em suma, o ritmo frenético de suas ruas, porque é a cidade mais populosa de todo o país.

Depois disso, será hora de jantar no hotel e passar a penúltima noite desta excursão de duas semanas por Israel e Jordânia.

  • Viagem de carro aos Castelos do Deserto Oriental:
    • Qasr al-Azraq
    • Qusayr Amra
    • Qasr al-Kharana
  • Regresso por estrada a Amã
  • Vista de Amã: Cidadela, Teatro Romano
  • Refeições e alojamento:
    • Café da manhã no hotel no Mar Morto
    • Almoço no restaurante local
    • Jantar e pernoite em Amã

Dia 13: Amã - Tel Aviv

Neste décimo terceiro dia de viagem, retornaremos a Israel: partiremos para o posto fronteiriço de Allenby após o café da manhã no hotel, para que tenhamos tempo suficiente para aproveitar o resto do dia.

Embora nesta turnê de duas semanas de Israel e Jordânia Dedicamos vários dias a Jerusalém, esta cidade santa ainda tem muito a ensinar, de modo que na manhã deste dia visitaremos o que não tivemos tempo nos dias anteriores. Primeiro, o Museu da Torre de David, no bairro armênio, que faz uma revisão didática e interativa da história da cidade, desde os tempos cananeus até hoje.

E em segundo lugar, vamos nos mudar para o bairro de Ein Karem, um dos mais genuínos de Jerusalém, por sua atmosfera tradicional de artesãos. Aqui visitaremos duas igrejas cheias de significado para os cristãos. De um lado, a da Visitação, onde a Virgem Maria e sua parente Isabel se encontram, ambas grávidas (a última, de San Juan Bautista). E do outro, a igreja de San Juan Bautista, acima da caverna onde este profeta nasceu.

À tarde, viajaremos para Tel Aviv para visitar também outro lugar importante que estava pendente: a Cidade Branca, um bairro construído nos anos 30 do século passado por arquitetos judeus alemães que tiveram que emigrar durante a perseguição nazista. Seus edifícios elegantes e sua atmosfera moderna e retrô, ao mesmo tempo, lhe renderam a designação de Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

Depois disso, passaremos aqui a última noite desta excursão de duas semanas por Israel e Jordânia, com jantar e descanso no hotel.

  • Passagem de fronteira do Allenby Post
  • Chegada a Jerusalém e visitas pendentes:
    • Museu da Torre de David
    • Ein Karem: visitas da Igreja da Visitação e da Igreja de São João Batista
  • Viaje para Tel Aviv por estrada:
    • Visita da Cidade Branca
  • Refeições e alojamento:
    • Café da manhã no hotel em Amã
    • Almoço no restaurante local
    • Jantar e pernoite no hotel em Tel Aviv

Dia 12: Tel Aviv - Aeroporto de Tel Aviv Ben Gurion

Depois de duas semanas de turnê por Israel e Jordânia, chega o momento do fim. E vamos organizar o dia para que o regresso a casa seja confortável e tranquilo. Após o café da manhã incluído no hotel, analisaremos o tempo disponível para definir um horário de reunião e transferi-lo para o Aeroporto Internacional Ben Gurion de Tel Aviv. Já no terminal lhe forneceremos a última assistência necessária e nos despediremos com gratidão e entusiasmo de uma futura reunião.

  • Café da manhã no hotel em Tel Aviv
  • Transfer para o Aeroporto Internacional Ben Gurion de Tel Aviv
  • Assistência e despedida do aeroporto

Serviços incluídos nesta excursão de duas semanas por Israel e Jordânia

Nesta excursão de duas semanas por Israel e Jordânia, o all-inclusive

é um conceito que pode ser aplicado não apenas a destinos, mas também a serviços: o preço da viagem inclui tudo o que o viajante precisa para aproveitar a experiência com a melhor qualidade:

  • Bilhetes de avião de ida e volta de/para o Aeroporto de Madrid-Barajas
  • Formalidades e custos do visto colectivo de entrada na Jordânia
  • Assistência no aeroporto, tanto na chegada como na partida do país
  • Transfer aeroporto-hotel e vice-versa, em veículo particular com motorista
  • Deslocamento e viagem por estrada previsto no programa, em veículo particular com motorista
  • Equipe de acompanhantes em espanhol durante toda a viagem
  • Hotéis em regime de pensão completa (exceto jantar na primeira noite), distribuídos da seguinte forma:
    • 2 noites em Tel Aviv
    • 2 noites em Nazaré
    • 4 noites em Jerusalém
    • 2 noites em Amã
    • 2 noites em Petra
    • 1 noite no Mar Morto
  • Café da manhã buffet em todos os hotéis
  • Almoço em um restaurante local todos os dias
  • Jantares nos hotéis de cada dia
  • Livro de viagem com informações sobre cada destino
  • Fones de ouvido em todo o circuito
  • Taxas de entrada para os museus e monumentos mencionados no programa
  • Visitas guiadas em todos os museus e destinos do programa
  • Seguro de Viagem

Serviços não incluídos

No entanto, apesar de usar o termo all-inclusive, esta excursão de duas semanas por Israel e Jordânia deixa alguns pequenos detalhes descobertos, como é habitual neste tipo de pacote:

  • Dicas para profissionais de turismo, como motorista, guias, etc.
  • Bebidas
  • Taxas oficiais e outras despesas para tirar fotografias e imagens de certos monumentos
  • Outras despesas não especificadas no programa

Descubra outros circuitos

×

Olá!

Entre em contato com um de nossos consultores de viagens para obter assistência comercial.

×